Minha Meta chegando aos poucos

sábado, 27 de novembro de 2010

dieta

Amigas estou tentando seguir a dieta da nutricionista, tentando pois com esssa correria do dia dia e tão dificil comer de 3 em 3 horas,vou escanear a dieta e postar pra vocês não dá  pra passar fome, dessa acho que vai

domingo, 21 de novembro de 2010

Já é Natal....

Chegou o Natal e com eles as delicias engordaditvas ..Jesus toma conta.....

sábado, 20 de novembro de 2010

Agora vai

Meninas fui na nutricionista e  estabelecemos uma meta audaciosa 4 kg por mês sem passar fome..rsrsrsr..vamos ver no que vai dar dia 16 de dezembro  conto se consegui ou não

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Sintomas de Ansiedade, Sintomas de um Ataque de Ansiedade (Ataque de Pânico)

Existem diversos sintomas de ansiedade. Como cada pessoa tem uma química única, o número, tipo, intensidade e frequência dos sintomas de ansiedade irão variar de pessoa para pessoa.

Por exemplo, uma pessoa pode ter apenas um ligeiro sintoma de ansiedade, enquanto outra poderá ter sintomas de grave intensidade. Todas as combinações são possíveis.
Os sintomas mais comuns de ansiedade incluem:

• Aumento de alergias

Aumento em número, sensibilidade, reacção. Poderá notar que as suas alergias pioraram, que é alérgico a mais substâncias, que as reacções alérgicas são mais frequentes, ou que demoram mais a passar.

• Dores de costas, Rigidez, inflamações, espasmos, imobilidade

Dores de costas, rigidez, tensão, pressão, inflamações, espasmos, imobilidade nos músculos das costas. Um ou mais músculos podem ser afectados.

Este sintoma pode durar pouco tempo ou durar indefinidamente.
Estes sintomas são comuns aos sintomas de stress.
• Palidez, falta de cor, enrubescimento
Poderá parecer doente ou ter a cara, pescoço e braços avermelhados, sentir calor e tremores.

• Tremores

Poderá sentir tremores, tonturas, arrepios. Este sintoma pode afectar todo o corpo ou só uma parte do corpo e acontecer apenas uma vez, ou repetidamente.

• Mudança de temperatura de corpo - Descida ou subida abrupta

A sua temperatura corporal poderá variar abaixo ou acima dos normais 37o.

• Sensação de ardor

Poderá ter uma sensação de ardor como se tivesse uma queimadura solar. Esta sensação pode permanecer numa área do corpo, ou no corpo todo. Pode ser intermitente ou persistente. Esta sensação é normalmente provocada por situações de grande stress ou pensamentos aterrorizantes.

• Dores no peito

Dor, pressão, pontadas, dormência. Estes sintomas podem localizar-se num determinado local ou espalhar-se por todo o peito. Podem ser esporádicos ou persistentes e são usualmente confundidos com sinais de ataque de coração.

• Fadiga crónica

Poderá sentir-se extremamente exausto, sem energia. Poderá sentir-se cansado durante muito tempo ou após pequenas tarefas que habitualmente não o cansariam. Sente que poderia dormir o dia inteiro e mesmo assim acordar cansado.

• Necessidade de açúcar, doces, ou chocolate
Sente uma grande necessidade de consumir açúcar, doces ou chocolate, persistentemente.

• Dificuldade em falar e andar

Poderá experimentar dificuldade em andar, em falar, pronunciar palavras, sílabas, ou vogais, em mexer a boca, lábios ou língua. Em algumas pessoas estes sintomas são esporádicos, noutras pessoas são persistentes.

• Excesso de energia
Poderá sentir-se demasiado enérgico, como se tivesse que correr ou fazer qualquer coisa para gastar a sua energia. Por vezes poderá não conseguir dormir, pois a sua cabeça parece estar a mil quilómetros à hora. Quantas mais tarefas e interesses tiver, mais quererá ter.
• Sensação de que está a cair

Poderá experimentar breves episódios em que parecerá que está a cair, mesmo estando em chão firme. A sensação é quase como se estivesse prestes a desmaiar.
• Frio
Poderá sentir-se usualmente frio, sem conseguir aquecer, faça o que fizer. Esta sensação poderá ir e vir, ou ser acompanhada de episódios de constipação.

• Palpitações
Poderá sentir que o seu coração está acelerado ou demasiado lento, provocando dores no peito e tosse. Este sintoma poderá ser acompanhado de falta de ar.

• Contracção muscular

Um certo músculo, ou conjunto de músculos, poderá contrair-se involuntariamente.

• Dormência e formigueiro, perda de sensibilidade
Poderá sentir uma parte do seu corpo dormente, insensível ao toque, como se estivesse congelada ou anestesiada. Isto pode acontecer em todo o corpo, mas as partes afectadas mais comuns são as mãos, os pés, os braços e as pernas. A dormência pode ser provocada por inúmeros factores, como permanecer muito tempo numa determinada posição, magoar ou pressionar um nervo, pressionar os nervos cervicais, falta de sangue numa área, stress, ansiedade, pânico, medo. Uma vez que existem várias condições médicas que podem provocar dormência, será aconselhável consultar um profissional da saúde.
• Tensão e Dores Musculares Persistentes
Poderá sentir que os seus músculos estão sempre contraídos e doridos. • Fortes dores de cabeça Poderá sentir dores na cabeça, nuca e pescoço. Poderá sentir apenas pressão ou até mesmo dor.
• Necessidade frequente de urinar
Poderá sentir uma necessidade frequente e persistente de urinar, mesmo que tenha acabado de o fazer.
• Dificuldade em respirar
Poderá sentir que a sua respiração é forçada e dolorosa. Aperceber-se à da sua forma de respirar e isto fará com que tenha dificuldade em o fazer.
• Tonturas
Poderá sentir súbitas tonturas, acompanhadas da sensação de que ira desmaiar.
• Redução da capacidade auditiva
Este sintoma pode assumir várias formas e varia de pessoa para pessoa. Pode traduzir-se em perda de audição, dificuldade em ouvir certos sons ou frequências, grande pressão nos ouvidos, assobio persistente no ouvido. Este sintoma pode afectar apenas um ouvido ou os dois.

• Despersonalização Poderá sentir-se surreal, resultante de um sonho, absorto da realidade. Poderá sentir que não faz parte do mundo, apenas o observa, e poderá questionar a sua sanidade mental.

• Pensamentos, melodias, conceitos persistentes 

Poderá sentir que determinados pensamentos, melodias e/ou conceitos não lhe saem da cabeça. Não importa o que faz, não consegue deixar de pensar neles.
• Vazio emocional

Poderá sentir que não tem emoções, sejam positivas ou negativas. Racionalmente, sabe que se deveria preocupar, mas emocionalmente não sente nada.
• Sabores e cheiros anormais
Poderá sentir, esporádica ou persistentemente, cheiros e sabores que não estão relacionados com o ambiente em que está ou com algo que ingeriu. Não têm explicação racional.
• Engasgue
Poderá sentir frequentemente que têm algo preso na garganta, que está a engasgar e que não consegue engolir.
• Falta de apetite ou de paladar
Poderá sentir falta de apetite, ou que a comida não tem sabor.

• Náuseas
É frequente a sensação de dores de estômago, acompanhadas de vontade de vomitar. Existem vários factores que podem causar náuseas, como dor intensa, gravidez, exposição a tóxicos, intoxicação alimentar, traumatismo craniano, apendicite, etc. Como tal, deverá consultar um médico para se certificar se é causada por ansiedade e pânico ou por outra condição médica.
• Ilusões ópticas
Poderá experimentar ilusões de óptica, movimentos ou estrelas ao canto do olho que não existem.

Fonte: http://www.depressaoansiedade.com/Ansiedade/Sintomas-Causas-Sinais.html


 Eu já senti muitos destes sintomas e posso garantir que isso não é uma coisa legal...

O que é TAG? quais os sintomas

Transtorno de ansiedade generalizada (TAG): O que a ciência tem a dizer sobre isso?


Luís Flávio Chaves Anunciação [Luisfca]

14/8/08
Os Transtornos de Ansiedade são psicopatologias que, em diversas ocasiões, favorecem respostas negativas e paralisantes ao indivíduo acometido. O presente artigo sintetiza o Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) em relação ao seu aparecimento, possíveis etiologias, relação com tratamento e prognóstico e relação com stress.
Atualmente, em nossa cultura, firmou-se utilizar o termo “ansiedade” para condutas inapropriadaspriadas, erradas ou ineficazes. Além disso, o conhecimento popular alia ansiedade a estresse e utiliza os dois termos de forma a ilustrar, igualmente, algo patológico e sem fazer as devidas distinções entre os conceitos. Ou seja, alguém com ansiedade é similar a alguém estressado e, ao fim do pensamento do senso-comum, isso significa que há um ou vários prejuízos no funcionamento desta pessoa ansiosa.
Com o estudo científico sobre tais conceitos, o resultado constatado foi outro. Pesquisadores das mais diversas áreas, principalmente Psicologia e Psiquiatria, postulam que a ansiedade é próxima ao estresse, mas não funciona como sinônimo[1]. Além disso, estar ansioso não é ruim, é um estado do organismo que é fundamental para a sobrevivência e que vem acompanhando o homem ao decorrer de sua evolu&ccedi
l;ão[2]. Desta forma, enquanto o conhecimento popular rotula o ansioso como pouco funcional, o conhecimento científico defende que a ansiedade possui alto grau de importância na relação do homem com seu ambiente. Ainda mais, os pesquisadores fazem uma distinção interessante entre os mecanismos fisiológicos que geram a ansiedade por dois termos diferentes. Há uma ansiedade positiva, que ajuda o organismo na função vital de adaptação ao mundo, e uma negativa, que funciona de forma a paralisar respostas adequadas a determinados estímulos dando lugar a condutas
Da mesma forma, estresse e ansiedade possuem distinções conceituais. Diferentemente de outros animais, os seres humanos qualificam sua ansiedade utilizando do termo “estresse”[4]. Assim sendo, uma pessoa ansiosa interpreta tal situação e emite um significado à mesma sob formato de estresse. Logo, alguém que se sente impossibilitado de andar de ônibus por algum evento traumático, diz-se ansioso e estressado. Em atuação próxima aos eventos que favorecem a ansiedade de um organismo, o estresse se divide, também, em dois tipos: quando o organismo encontra com ansiedade positiva, há o eustresse, o chamado estresse bom; quando a ansiedade é negativa, ocorre o distresse[5].

Uma pessoa com uma conduta desarmônica em diversos sentidos em virtude a uma ansiedade excessiva, que gera impedimentos graves na esfera social, laborativa e pessoal, na maioria dos dias, favorece ao que se chama de Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG)[6]. Dessa forma, o TAG é um estado onde há sempre uma ansiedade elevada frente a diversos estímulos que o organismo sofre, mesmo àquelas onde a ansiedade é claramente desproporcional ao fator desencadeante. É um transtorno crônico e poder provocar inquietação, irritabilidade fatigabilidade ou prejuízos no sono, tensões musculares, mãos secas e outros estados fisiológicos. Com essas características preenchidas e feita a exclusão de outros estados patológicos que podem suscitar sensações similares, um profissional de saúde mental já tem dados para o diagnóstico de TAG, que se apresenta na proporção de 2 mulheres para cada homem[7].
Apesar do curso crônico, que significa uma patologia difícil de ser curada e que tende a acompanhar toda a vida depois de seu aparecimento, há tratamento medicamentoso e psicoterápico. Com a união de medicamentos ansiolíticos, que rebaixam a ansiedade, e com a abordagem cognitivo-comportamental, é possível pensar em um alto grau de melhora daquele que sofre de TAG. A partir do momento em que a pessoa é levada a pensar sobre situações que a deixam ansiosa, estratégias terapêuticas são viáveis no sentido de melhorar essa ansiedade e reestruturar crenças e percepções que ilustram situações como, por exemplo, catastróficas. A TCC é uma forma de abordagem para o tratamento psicológico que utiliza técnicas cognitivas para a reestruturação de pensamentos disfuncionais, e técnicas comportamentais para a aproximação gradual ao desencadeador do estado de ansiedade. Em paralelo ao acompanhamento psiquiátrico, há uma grande probabilidade de melhora na saúde da pessoa com TAG.
No início do texto, foi falado que há uma grande divergência entre o conhecimento popular e os estudos científicos. A melhor maneira de conseguir diferenciar adequadamente a patologia do comportamento considerado ajustado ao ambiente é procurar um profissional especializado neste assunto. Em relação aos Transtornos de Ansiedade, como o TAG, a melhor escolha está na busca de um Psicólogo ou Psiquiatra que, em atuação conjunta, favorecerão a melhora da pessoa que o procura.
[1] Ballone, 2005.

[2] Ibidem, ibidem

[3] Lipp & Malagris, 2001.

[4] Ballone, 2005.

[5] ISMA-BR,2008.

[6] Nunes & Bueno & Nardi, 2005

[7] DSM-IV, 1995.




Quais os sintomas ?

Ansiedade


•Fadiga

•Insônia

•Falta de ar ou sensação de sufoco

•Picadas nas mãos e nos pés

•Confusão

•Instabilidade ou sensação de desmaio

•Dores no peito e palpitações

•Afrontamentos, arrepios, suores, frio, mãos úmidas

•Boca seca

•Contrações ou tremores incontroláveis

•Tensão muscular, dores

•Necessidade urgente de defecar ou urinar

•Dificuldade em engolir

•Sensação de ter um "nó" na garganta

•Dificuldades para relaxar

•Dificuldades para dormir

•Leve tontura ou vertigem

•Vômitos incontroláveis

Fonte: Wikipédia

Perguntais-me como me tornei louco?

Perguntais-me como me tornei louco. Aconteceu assim:






Um dia, muito tempo antes de muitos deuses terem nascido, despertei de um sono profundo e notei que todas as minhas máscaras tinham sido roubadas – as sete máscaras que eu havia confeccionado e usado em sete vidas – e corri sem máscara pelas ruas cheias de gente gritando: “Ladrões, ladrões, malditos ladrões!”





Homens e mulheres riram de mim e alguns correram para casa, com medo de mim.





E quando cheguei à praça do mercado, um garoto trepado no telhado de uma casa gritou: “É um louco!” Olhei para cima, para vê-lo. O sol beijou pela primeira vez minha face nua.





Pela primeira vez, o sol beijava minha face nua e minha alma inflamou-se de amor pelo sol, e não desejei mais minhas máscaras. E, como num transe, gritei: “Benditos, benditos os ladrões que roubaram minhas máscaras!”





Assim me tornei louco.





E encontrei tanto liberdade como segurança em minha loucura: a liberdade da solidão e a segurança de não ser compreendido, pois aquele que nos compreende escraviza alguma coisa em nós.





(The Madman, Gibran Khalil Gibran, 1977)

quarta-feira, 3 de novembro de 2010